Artigos

Artigos

Como são divididos os níveis de fluência em inglês?

20/06/2019
Como são divididos os níveis de fluência em inglês?
   Você sabe qual seu nível de inglês? É comum ouvir as pessoas falarem que têm conhecimento básico, intermediário ou até que são fluentes no idiomas. No entanto, essas respostas não são precisas porque essa ideia do que é básico e avançado pode variar de pessoa para pessoa.  Para isso, melhor forma para se ter um entendimento comum sobre o nível de fluência em um idioma é usar como referência o Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas, o CEFR (Common European Framework of Reference for Languages).
   Este quadro  é o resultado de anos de pesquisas do Conselho Europeu e é uma ferramenta para classificar os conhecimentos de um idioma da maneira mais objetiva possível, de forma que os diferentes credenciamentos linguísticos sejam similares. Ele é muito utilizado como referência na Europa, e cada vez mais usados em países da Ásia e Américas. Para isso são estabelecidos três níveis que se dividem, por sua vez, em subníveis para se chegar numa escala mais precisa com um total de seis níveis. Observe-os a seguir.
 
 
A1
Nesse nível, um aprendiz não nativo da língua inglesa consegue se comunicar de modo simples, podendo, assim: compreender e usar expressões familiares do dia a dia; apresentar-se e apresentar outros; fazer perguntas e dar respostas sobre aspectos pessoais, como: local onde vive, pessoas que conhece, coisas que tem etc. Pode se comunicar de forma simples se houver cooperação do seu interlocutor, ou seja, se este estiver disposto a falar de forma lenta.

A2
O falante consegue compreender frases isoladas e expressões relacionadas com informações pessoais e compras, além de comunicar tarefas simples,  rotinas que exigem apenas uma simples troca de informações direta sobre assuntos que são familiares e habituais; descrever de modo simples a sua formação, o meio em que vive e outros assuntos relacionados às necessidades imediatas.

B1
Nesse nível, é possível conversar com facilidade sobre a rotina diária ainda que com algumas limitações; lidar com situações cotidianas em viagens à países que têm o inglês como língua nativa; produzir textos simples; e descrever experiências, planos, sonhos, etc.

B2
Neste nível já é possível entender a maioria dos textos e tópicos de conversação.  O conhecimento de gramática também já está bastante desenvolvido. Dessa forma, é possível entender textos de caráter técnico, dentro de uma especialidade; interagir naturalmente com nativos fluentes; e defender um ponto de vista sobre temas gerais expondo as vantagens e inconveniências de várias possibilidades.

C1
Domina funcionalmente todo o idioma. Isso significa a compreensão de uma ampla variedade de textos extensos; uso efetivo do idioma para fins sociais, acadêmicos e profissionais; e conversação fluente e espontânea.  Pode exprimir-se sobre temas complexos, de forma clara e bem estruturada, manifestando o domínio de mecanismos de organização, de articulação e de coesão do discurso.

C2
Neste nível, conhecimento da língua já desenvolveu a altura de um nativo. Sendo assim, é capaz de compreender com facilidade tudo o que ouve e lê; e expressar-se espontaneamente com grande fluência até mesmo em situações de maior complexidade.

Para saber mais sobre o Quadro Comum Europeu de Referência para Línguas, visite o site da União Europeia.

 
Notícias Relacionadas

0 Comentários

Não há nenhum comentário postado

Postar comentário

 Nome *
 E-mail * (Seu e-mail não será divulgado)

Máximo 500 caracteres



Validação Anti-Spam: Quanto é 1 mais 3? *
 * Campos com preenchimento obrigatório